Papilomas no corpo: causas do aparecimento e métodos de tratamento

Papiloma no corpo humano

Os papilomas no corpo aparecem como resultado da infecção por papilomavírus humano. Na idade adulta, o papilomavírus humano (HPV) pode ser encontrado na maioria das pessoas. Está em uma fase inativa. Mas, sob a influência de fatores predisponentes, como resultado de danos à pele, o HPV é ativado e surgem protuberâncias papilomatosas características. Muitos deles não são perigosos e são apenas um defeito cosmético. Mas é extremamente importante determinar por que os papilomas aparecem no corpo e se estão associados a um processo oncológico.

Certas cepas de HPV causam hiperplasia maligna do tecido. Devido ao risco de crescimento das neoplasias oncológicas, independente da causa do aparecimento dos papilomas no corpo, o tratamento é realizado principalmente por métodos cirúrgicos. Se aparecerem crescimentos na pele, você deve primeiro consultar um dermatologista. Se neoplasias forem encontradas na área genital, visite um venereologista. Um especialista pode determinar exatamente o que causa papilomas no corpo e nas membranas mucosas, identificar a cepa de HPV e determinar o risco oncogênico.

Papilomas nos lábios

Quais papilomas podem aparecer no corpo

Externamente, o papiloma se assemelha a uma protuberância córnea que se estende além da camada superior da pele. A neoplasia geralmente tem uma haste fina. Os papilomas no corpo podem ser únicos ou localizados em grupos. Eles se parecem com um cogumelo. Sua cor é apenas ligeiramente diferente da cor da pele saudável. Os papilomas no corpo e na foto costumam ser diferentes. Há muitas imagens de neoplasias na rede que vale a pena estudar para sabermos pelo menos aproximadamente se devemos ou não ir ao médico. Na foto você pode ver como os papilomas ficam no corpo, e como - por exemplo, manchas ou melanomas. Mas apenas um médico pode fazer um diagnóstico preciso.

Tipos comuns de papilomas no corpo:

  • simples ou vulgares - parecem nódulos arredondados que mais freqüentemente aparecem nas mãos, estão localizados em grupos, são detectados principalmente na infância;
  • achatadas ou jovens - pápulas ligeiramente salientes têm uma superfície lisa, aparecem na pele dos membros ou membranas mucosas;
  • plantar - parecidos com nódulos densos, que são cobertos por uma crosta queratinosa na parte superior, podem causar sensações dolorosas ao caminhar;
  • filiforme - pequenas protuberâncias da cor da pele, de formato longitudinal, mais freqüentemente aparecem na velhice na pele do pescoço, na face, podem ser danificadas durante procedimentos de higiene e inflamadas;
  • verrugas genitais - este tipo de verruga é a mais perigosa, pois é provocada por cepas de HPV de alto risco oncogênico, externamente as neoplasias se assemelham a um acúmulo de couve-flor, aparecem no períneo, nos genitais de homens e mulheres, e podem afetar a bexiga e o colo do útero.

Causas comuns de papilomas no corpo

A principal razão para o aparecimento de papilomas no corpo é a entrada do papilomavírus através de pequenas lesões cutâneas ou autoinfecção durante o barbear e procedimentos de higiene diária.

Os seguintes fatores podem provocar o crescimento de neoplasias papilomatosas:

Papilomas no pescoço
  • vida íntima promíscua;
  • infecções urogenitais agudas e crônicas, verrugas genitais nos órgãos genitais e pele do períneo;
  • distúrbios hormonais;
  • forte diminuição da imunidade;
  • traumas constantes na pele e nas mucosas.

Na maioria das vezes, as pessoas com papilomas no corpo apresentam um curso crônico de infecção papilomatosa. Por muito tempo, o vírus passou despercebido. Após uma diminuição da imunidade, o HPV é ativado. Doenças infecciosas graves, operações anteriores, radioterapia, trabalho em condições desfavoráveis, estresse constante, estresse físico e psicoemocional intenso, dieta de baixa qualidade com baixo teor de vitaminas e minerais podem provocar um enfraquecimento da defesa imunológica.

As causas dos papilomas no corpo feminino geralmente estão associadas a alterações hormonais no corpo durante a menopausa ou gravidez. As flutuações na proporção dos hormônios sexuais criam condições favoráveis ​​para a reprodução ativa do HPV e hiperplasia dos tecidos. Em risco estão as mulheres com verrugas genitais, que são transmitidas principalmente por meio do contato íntimo com um portador de verrugas genitais.

Câncer do colo do útero e papilomas no corpo

O principal perigo dos papilomas no corpo é o risco de malignidade das neoplasias. Nas mulheres, o crescimento papilomatoso pode causar uma doença formidável - o câncer cervical. 16 e 18 tipos de HPV são responsáveis ​​por essa patologia. Segundo as estatísticas, mais de 500 mil mulheres em idade produtiva em todo o mundo são diagnosticadas com câncer do colo do útero a cada ano. Metade deles procura ajuda médica já nos estágios finais da doença, quando pode ser muito difícil ajudá-los a se recuperar totalmente. Toda mulher deve saber o que é o papilomavírus humano, como ele entra no corpo humano e como ela pode se proteger da hiperplasia cervical maligna.

Quando aparecem papilomas no corpo, é necessário fazer um diagnóstico abrangente para identificar possíveis infecções urogenitais concomitantes. O HPV pode causar hiperplasia do revestimento cervical. Se a mulher não fizer exames preventivos por um longo período, ela não saberá da presença de papilomas nos órgãos genitais e poderá perder o crescimento de uma formação maligna.

Se papilomas forem encontrados no corpo, é recomendável realizar os seguintes exames:

  • digitando um vírus usando diagnóstico de PCR;
  • coleta de swabs do colo do útero e do prepúcio em homens;
  • análise imunológica
  • ;
  • exames de sangue para infecções sexualmente transmissíveis;
  • biópsia, citologia e histologia do tecido.

Uma abordagem integrada do exame nos permite avaliar todos os riscos possíveis da doença e entender como tratar os papilomas no corpo para eliminar completamente as neoplasias e prevenir sua recorrência no futuro.

Importante! O HPV praticamente não apresenta sintomas. A neoplasia não se manifesta por muito tempo. Pequenos crescimentos na pele não causam desconforto, mas se feridos, podem se tornar inflamados e malignos.

Mas mesmo os papilomas comuns no corpo podem ser perigosos se forem frequentemente feridos e expostos à radiação ultravioleta. Essas neoplasias devem ser removidas a tempo, a fim de evitar a magnetização do tecido sob a influência de mudanças relacionadas à idade e fatores ambientais desfavoráveis.

Como o papilomavírus se espalha

A principal via de disseminação do HPV é por meio de relacionamentos íntimos, incluindo contatos orais e anais. Freqüentemente, o papilomavírus é diagnosticado no contexto de infecções sexualmente transmissíveis agudas e crônicas, em pessoas que mantêm relacionamentos próximos com diferentes parceiros.

Mas o papilomavírus pode entrar no corpo por meio de contatos domésticos próximos, pele danificada e membranas mucosas. Bebês recém-nascidos podem ser infectados por uma mãe portadora de verrugas genitais, uma forma de infecção pelo papilomavírus humano. A criança é infectada ao passar pelo canal de parto de uma mulher. O HPV afeta a pele e as membranas mucosas, causando o aparecimento de verrugas comuns, papilomas e verrugas genitais.

A força do sistema imunológico desempenha um papel importante no desenvolvimento do HPV. Quanto mais fraco for o sistema imunológico, maior será o risco de uma pessoa contrair a infecção pelo papilomavírus humano. Pacientes com diabetes mellitus, distúrbios hormonais, corpo enfraquecido, mulheres grávidas e crianças, bem como pessoas com infecções urogenitais crônicas são especialmente vulneráveis.

Princípios de tratamento de papilomas no corpo

A terapia medicamentosa inclui a indicação de medicamentos antivirais que suprimem a reprodução ativa do HPV. Mas esses fundos são frequentemente usados ​​como parte de um tratamento complexo, antes ou depois da remoção minimamente invasiva de papilomas. Os medicamentos antivirais especiais retardam a reprodução do papilomavírus e reduzem significativamente o risco de recorrência da doença no futuro.

Quanto mais cedo for iniciada a terapia, menor será o risco de malignidade do tecido. O momento ideal para o tratamento são os primeiros meses após o aparecimento das neoplasias. O curso terapêutico também inclui a ingestão de agentes imunoestimulantes que apoiam a atividade do sistema imunológico e evitam exacerbações frequentes da doença. O curso recorrente da infecção pelo papilomavírus humano pode ser acompanhado pela formação de papilomas não apenas no corpo, mas também nos genitais, dentro dos órgãos urinários e na mucosa oral. Este curso da doença é típico de pessoas que foram submetidas a intervenções cirúrgicas complexas, doenças infecciosas prolongadas, distúrbios hormonais.

Remoção cirúrgica de papilomas no corpo

O tratamento cirúrgico de papilomas no corpo é uma opção clássica mais adequada para a maioria dos pacientes. Após o exame e o recebimento dos dados diagnósticos, o médico escolhe o método adequado para a remoção das neoplasias.

Principais indicações para remoção de papilomas no corpo:

Papilomas na pele
  • crescimento ativo de protuberâncias papilomatosas;
  • o aparecimento de neoplasias em locais onde são frequentemente danificados e inflamados;
  • curso crônico de infecção por papilomavírus humano, exacerbações regulares;
  • alto risco oncogênico, história de predisposição a neoplasias malignas;
  • o aparecimento de dor na área dos papilomas, mudanças na cor e na forma das neoplasias.

As táticas expectantes são praticadas por especialistas quando os papilomas aparecem durante a gravidez e durante a amamentação. Freqüentemente, os crescimentos papilomatosos desaparecem por conta própria imediatamente após o parto e a restauração dos níveis hormonais em uma mulher.

Maneiras de remover papilomas no corpo

Métodos minimamente invasivos de remoção de papilomas do corpo permitem que você se livre de neoplasias quase sem sangue, para preservar a maior parte da pele saudável. Se não houver risco de malignidade do tecido, os seguintes métodos cirúrgicos podem ser usados:

  • terapia por ondas de rádio (remoção de verrugas genitais com um bisturi);
  • criodestruição (cauterização de verrugas genitais com nitrogênio líquido em baixa temperatura);
  • coagulação a laser (vaporização de neoplasias patológicas com laser);
  • eletrocoagulação (aplicação de corrente de alta frequência).

A excisão cirúrgica clássica com bisturi é usada para lesões grandes de tecido e papilomatose grave. Mas os especialistas, se possível, dão preferência a métodos minimamente invasivos de tratamento. Na maioria das vezes, os papilomas do corpo são removidos com laser. Este método é caracterizado por danos mínimos, não deixa cicatrizes e manchas na pele. O laser tem efeito antiinflamatório, o que permite operações minimamente invasivas com risco mínimo de infecção secundária.

Também é possível usar um aparelho de ondas de rádio, que remove as neoplasias sem contato sob anestesia local. Sob a ação de ondas de rádio de alta frequência, as estruturas da neoplasia são destruídas e os tecidos patológicos evaporam, ocorre sua coagulação - uma espécie de "selamento", que evita o sangramento da ferida.

O tratamento de papilomas com criodestruição está amplamente difundido. A técnica se baseia no uso de nitrogênio líquido, que congela todas as camadas da neoplasia, após o que o papiloma desaparece e em seu lugar em poucos meses não haverá mais que um pontinho invisível. Eletrocoagulação é usada para remover papilomas únicos. Com a alça de um eletrocoagulador, o médico corta a perna do papiloma, queima sua base e sela o tecido para evitar sangramento.

Métodos cirúrgicos para eliminar verrugas genitais e verrugas são usados ​​apenas em instituições médicas. Para a prevenção da recorrência de papilomas, é prescrita terapia antiviral. Além disso, as pessoas com papilomas são aconselhadas a visitar especialistas periodicamente e fazer exames. Mulheres que tiveram papilomas removidos, especialmente na área genital, devem fazer esfregaços e outros exames laboratoriais 2 a 3 vezes por ano.