Tratamento do papiloma: características, métodos, avaliações de pacientes

Vírus do papiloma é o nome comum de uma família de vírus que pode provocar papilomas e verrugas no corpo humano e causar o desenvolvimento de displasia cervical ou genital.

É por isso que é importante iniciar o tratamento do vírus do papiloma e dos próprios papilomas nas fases iniciais. Falaremos sobre como fazer isso no próximo artigo.

Papiloma sob uma lupa

Causas de ocorrência

A principal causa do aparecimento e desenvolvimento do papiloma é o HPV - o papilomavírus humano. No entanto, este está longe de ser o único fator. Os papilomas podem aparecer como resultado dos seguintes fenômenos:

  • condições estressantes ou depressivas;
  • imunidade reduzida;
  • sexo promíscuo ou negligência com anticoncepcionais;
  • abuso de álcool;
  • tendência a doenças infecciosas;
  • doenças prolongadas do trato gastrointestinal;
  • em tratamento com medicamentos potentes (por exemplo, antibióticos).

Se as regras básicas de higiene não forem seguidas, o risco de neoplasias aumenta nas áreas de recreação públicas - saunas, praias, banhos ou piscinas.

Como tratar papilomas

O tratamento do papiloma por meio da medicina moderna é bastante rápido e indolor. Para isso, existem várias técnicas que se diferenciam em termos de impacto, qualidade e custo.

Na maioria dos casos, o paciente pode escolher o método que mais lhe convém, mas às vezes você tem que seguir as recomendações do médico se a situação for difícil.

Tratamento a laser

Este método é considerado o mais eficaz e seguro. Seus benefícios incluem:

  • sem danos mecânicos à pele, o que elimina o aparecimento de cicatrizes;
  • velocidade de cura;
  • sem sangramento após a remoção;
  • rapidez de remoção (o procedimento leva menos de 1 minuto);
  • 100% esterilidade e segurança;
  • indolor devido ao controle do nível de temperatura de exposição.
Remoção de papiloma com laser

No entanto, nem todas as pessoas podem tratar o papiloma com laser. Entre as contra-indicações para esse método, a mulher se destaca pela gravidez, assim como o bronzeado fresco no local do papiloma, câncer, doenças virais, presença de herpes no local da neoplasia.

Técnica de eletrocoagulação

Os tratamentos comuns para o papilomavírus incluem eletrocoagulação. Esse método é usado para remover várias neoplasias benignas do corpo humano e consiste em aplicar uma corrente na área afetada. A especificidade do procedimento pode ser expressa nos seguintes aspectos:

  1. Como o material removido não é totalmente destruído, após a remoção, o especialista pode analisá-lo quanto a perigo para o paciente no futuro. Por exemplo, se houver sintomas de câncer, é imperativo analisar o material.
  2. Adequado para todas as idades e tipos de pele.
  3. O controle visual constante e a capacidade de ajustar as configurações fornecem uma abordagem individual para a organização do procedimento.
  4. Um procedimento bastante rápido, levando até 10 minutos, dependendo do tamanho da formação.
  5. Sem infecção ou sangramento.
  6. Um método relativamente barato.
Eletrocoagulação de papiloma

Se a eletrocoagulação não for organizada corretamente, cicatrizes podem aparecer no local da remoção e há alta probabilidade de recidiva. Além disso, o procedimento é relativamente doloroso e o período de cicatrização depois dele é mais longo do que depois de outros, e pode chegar a 10 dias.

Congelando

Para curar o papiloma de forma que ele não apareça mais, ou seja, para reduzir ao mínimo o risco de recidiva, pode-se usar nitrogênio líquido.

No início do procedimento, baixas temperaturas atingem pontualmente a área lesada da pele sem tocar a sadia, em seguida, ocorre a retirada. A ação das baixas temperaturas começa instantaneamente, o que encurta significativamente o processo. Nesse caso, o paciente não sente dor.

A moxabustão com nitrogênio líquido não é recomendada apenas nos casos em que o tamanho da neoplasia é maior que 1 cm ou se houver dermatoses localizadas próximas ao papiloma.

Cauterização de papiloma com nitrogênio líquido

Química contra o vírus

A medicina oferece tratamento para HPV e métodos químicos. Esta opção é mais agressiva do que outras, porém não a mais. Consiste no fato de o papiloma ser cauterizado por uma substância química forte, que inclui ácido salicílico ou ingrediente similar, após o qual fica coberto por uma crosta por vários dias e, finalmente, a crosta cai logo.

Apesar de o método ser usado até mesmo para remover neoplasias dos órgãos genitais ou do pescoço, seu uso é doloroso, requer cuidados especiais e aumenta significativamente o risco de cicatrizes e outras consequências negativas.

Cirurgia

Nesse caso, o papiloma é cortado com bisturi sob anestesia local. A desvantagem dessa técnica, em primeiro lugar, está no processo de cicatrização - afinal, envolve o uso de uma bandagem de pressão.

Ao mesmo tempo, a principal vantagem do método é permitir a remoção de alta qualidade de neoplasias de qualquer tamanho e profundidade.

Remoção cirúrgica de papiloma

Tratamento do papiloma com remédios populares

A desconfiança na medicina moderna e outros motivos levam as pessoas a tratar o papilomavírus humano em casa. Para isso, nenhum remédio é necessário - a natureza ajudará em tudo.

Óleos essenciais

Os óleos da árvore do chá ou absinto têm um efeito antiviral. Eles ajudam a eliminar as neoplasias devido à sua composição única e ao uso regular.

Uma condição importante é aplicar óleo na área danificada pontualmente, evitando o contato com áreas saudáveis. A regularidade também é importante. Um efeito de qualidade só pode ser obtido com o uso diário.

Não se deve recorrer a este método se o paciente tiver alergia ou intolerância individual ao óleo.

Celandine

O método de remoção da celidônia é melhor do que qualquer comprimido: proporciona um efeito poderoso em casa graças ao efeito escaldante do seu suco. Ao mesmo tempo, o suco de planta natural fresco é a opção mais eficaz.

Tratamento de papilomas com suco de celidônia

Cauterize o papiloma todos os dias e, dependendo de sua profundidade e tamanho, você poderá se livrar dele em 15-30 dias.

A técnica não é recomendada para pessoas com pele sensível, pois o risco de irritação é alto.

Ácido salicílico

Por que o ácido salicílico é eficaz contra neoplasias:

  • supressão da secreção das glândulas sudoríparas e sebáceas;
  • neutralização do foco de processos inflamatórios.

Para fazer o ácido funcionar melhor, vaporize a área danificada antes do procedimento e lave-a bem com roupa ou sabonete. O papilomavírus responderá à exposição apenas com a exposição regular antes de deitar.

Tratamento com óleo de mamona

Este método popular é considerado o mais eficaz e seguro. No entanto, é importante trabalhar com isso corretamente:

  1. Molhe uma almofada de algodão em óleo de rícino e esfregue o crescimento com movimentos de massagem. A ação deve ser repetida até 5 vezes ao dia.
  2. Para um melhor efeito, o papiloma é selado com um gesso de cima.

Com o melhor resultado, será possível limpar a pele de "acúmulos" em 3-5 dias.

Tratamento com querosene e nozes

Uma mistura de querosene e nozes ajudará a eliminar uma neoplasia em 7 dias. É preparado da seguinte forma:

  1. Pegue as nozes verdes e o querosene na proporção de 2: 1.
  2. As nozes são amassadas e colocadas em uma jarra com querosene refinado.
  3. A solução é bem filtrada e armazenada em local escuro.

A área afetada deve ser tratada diariamente de manhã e à noite.

Peróxido de hidrogênio

Recomenda-se a utilização do peróxido de hidrogênio como principal fármaco de ação multifuncional. Existem 2 maneiras de tratá-lo:

  1. Clássico. Todos os dias, 2 vezes ao dia, o papiloma é tratado pontualmente com peróxido de hidrogênio tanto quanto necessário. Às vezes, o curso do tratamento pode durar até 1 mês.
  2. Compressão. Uma vez por dia, uma gaze ou cotonete é umedecido com peróxido de hidrogênio e aplicado como gaze na área danificada. É importante trocar a compressa uma vez ao dia.

Esse método tem se mostrado indolor e eficaz, porém, é importante considerar que o hidrogênio pode causar irritação, principalmente em peles sensíveis.

O que o médico trata papilomas

Vários especialistas estão envolvidos no tratamento do papilomavírus ao mesmo tempo:

  1. Oncologista. Para excluir a probabilidade de desenvolvimento de doenças oncológicas no local da remoção ou para prevenir o perigo se a neoplasia for de má qualidade, é o oncologista que faz o diagnóstico principal.
  2. Dermatologista ou cosmetologista. Os especialistas nesta área estão empenhados na remoção do papiloma onde o trabalho de "joias" cosméticas é necessário - rosto, pescoço, ombros, área do peito.
  3. Cirurgião. Procedimentos complexos e métodos de remoção (por exemplo, cirúrgico) devem ser realizados por um cirurgião profissional para prevenir complicações.
  4. Dermatovenereologista. Este especialista trata e diagnostica papilomas na área genital.

Habitualmente, procuram o dermatologista para o diagnóstico inicial e, no posterior, se houver suspeita de formação maligna, para o oncologista.

Prevenção de doença

O tratamento da infecção pelo papilomavírus humano nem sempre se limita à remoção das neoplasias. Se o vírus já se espalhou pelo corpo, o processo de combatê-lo pode levar muito tempo. É por isso que é melhor neutralizar e prevenir doenças do que curar. Para isso, os médicos desenvolveram uma série de medidas preventivas úteis:

  1. Evite hábitos ruins tanto quanto possível, especialmente o consumo de álcool.
  2. Sempre se proteja durante as relações sexuais, incluindo sexo anal e oral. Lembre-se de ser higiênico e ter cuidado ao compartilhar brinquedos sexuais.
  3. Em alguns casos, a vacinação é realizada. É possível vacinar a partir dos 9 anos, não é reativa e não é agressiva, não requer um exame preliminar.

Recomenda-se também fazer exames de rotina uma vez por ano para o reconhecimento da doença nos estágios iniciais. As estatísticas mostram que as pessoas sexualmente ativas por volta dos 50 anos, de uma forma ou de outra, ficam infectadas com uma das formas de HPV na forma ativa ou passiva.

Avaliações de tratamento

  • "O papiloma feio no meu pescoço me impedia de usar vestidos com os ombros nus, constantemente me fazia sentir desconfortável. Quando fui ao dermatologista, ele me aconselhou a tirar com laser - isso me assustou muito. Então, decidi remover o papiloma por conta própria. Comprei óleo de mamona e esfreguei o papiloma 3-5 vezes ao dia. Depois de algumas semanas, o papiloma começou a encolher e então secou completamente. "
  • "Não percebi logo um papiloma em um local íntimo: uma vez ao andar sentia um desconforto, depois eu prestei atenção. Fiquei imediatamente assustado e voltei para a ginecologia. Lá, os médicos examinaram tudo, fizeram uma análise visual e concluíram que a neoplasia era benigna. Suspirei calmamente. Eu escolhi o método de remoção a laser. A retirada foi rápida e não doeu, agora não estou preocupada com a minha saúde, mas decidi não desistir mais dos exames agendados ".
  • "Um grande papiloma na minha perna me impediu de viver por muito tempo: esfregava constantemente nas minhas roupas, causando sensações dolorosas. Tomou a decisão de removê-lo. Após o exame, o médico disse que, para papilomas tão grandes, apenas o método de remoção cirúrgica pode ser usado. Isso me assustou no começo, mas não havia escolha. O procedimento foi realizado sob anestesia geral, sem dor. Após a remoção, uma pequena mancha permaneceu, mas depois de algumas semanas ela desapareceu. Estou completamente satisfeito. "